25 dezembro 2013

22 dezembro 2013

Alimentos Caseiros

As vezes nos deparamos com algumas situações de aperto financeiro ou temos a necessidade de fornecer algum tipo de alimento mais elaborado para os peixes devido alguma doença, engorda de alevinos, etc.

Hoje no mercado existe alimentos para todos as etapas da vida do peixe, porem o preço as vezes nos espanta, já que os melhores alimentos infelizmente ainda é importado, hoje vamos descrever algumas receitas caseiras que podem te ajudar a economizar um pouco.

Receita de Gordon.

250 g de camarão;
250 g de fígado de galinha;
70 g de cereais em flocos (aveia);
1/2 molho de espinafre;
5 folhas de alface;
3 cenouras.

Cozinhe o fígado na água por 15 minutos, depois acrescente os demais itens, menos a aveia, deixe no fogo por cerca de 15 minutos sempre mexendo para não queimar no fundo da panela.

Após coloque tudo no liquidificador e acrescente a aveia, caso queira deixar em forma de patê, acrescente gelatina sem sabor e congele, caso queira deixar como farinha, acrescente sal grosso e deixe em uma assadeira para secar no sol, depois triture em uma máquina de moer carne.

Na Web existe diversas variações desta receita, escolha a mais prática para você e forneça um alimento rico para seus peixes.

10 dezembro 2013

Alternanthera Reineckii Bronze

Uma linda planta de coloração vermelho-bronze que irá criar um contraste fascinante em meio as outras plantas de coloração verde.

Originária de diversos pontos da América do Sul incluindo o Brasil, esta planta necessita de alguns cuidados especiais tais como iluminação forte, substrato fértil, injeção de CO² e temperatura entre os 22 a 28ºC para que ela se desenvolva com toda beleza.

Por ser uma espécie que cresce de forma considerável ela é ideal para ser plantada no fundo do aquário criando moitas que irão contrastar com as plantas verdes criando uma bela paisagem.

Indicada para aquaristas mais experientes devido os cuidados especiais que necessita, esta planta irá deixar seu aquário bem mais vistoso e belo de se observar. 

25 novembro 2013

Acanthicus Adonis

 
Este lindo peixe originário do Rio Tocantins e também já foi observado em outros rios da região amazônica, possui o corpo espinhoso e coberto de bolas brancas sobre um fundo negro, de grande porte chegando aos 50cm quando adulto não é indicado para aquários plantados, ele pode ser diferenciado de outra espécie semelhante pela falta da barbatana adiposa e pelos filamentos da cauda mais alongado.

De temperamento pacifico com as outras espécies, ele deve ter um aquário grande com muitas tocas para que este temperamento não seja alterado, já que em ambientes pequenos o peixe tende a ser mais territorialista e agressivo, coloque também bastante troncos e o substrato deve ser formado com areia sem pontas pontiagudas para não machucar o peixe.

O PH ideal para a espécie está entre 6,8 a 7,0, temperatura tropical e ração a base de legumes, carnes e alimentos próprios para peixes de fundo, com ênfase aos alimentos próprios para cascudos.

Não se conhece os métodos reprodutivos da espécie, assim como a diferença sexual entre eles, embora a noticias de que aquaristas europeus e asiáticos já conseguem reproduzir a espécie rotineiramente conforme mostra a foto acima.


Existe ainda uma variação albina que também é igualmente bela, aos aquaristas que amam e se dedicam especialmente a criação de “plecos” esta espécie é uma que não deve faltar em sua criação.

10 novembro 2013

Cascudo Tigre – Peckoltia Vittata


Conhecido como cascudo tigre, este lindo peixe da família loricariidae é encontrado em toda região tropical da América do Sul e bacia do rio Amazonas. Vive sozinho na natureza, se juntando com o par apenas na época reprodutiva, atinge cerca de 15 cm quando adulto e vive cerca de 8 anos.

O ambiente ideal no aquário é o que recomendamos para todos os que criam peixes desta família, ou seja, muitas tocas, troncos e substrato formado por areia de rio sem a presença de pedras pontiagudas ou cortantes. O PH ideal é de 5.0 a 7.0, DH de mole à média e temperatura em cerca dos 26ºC.

Sua manutenção é relativamente fácil, ofereça alimentos para peixes de fundo e também a base de carne já que o peixe tem uma tendência ao carnivorismo.

Alguns aquaristas oferecem abobora, pepino, alface, ervilhas, vagem e também enquitreias e outros alimentos vivos para complementar a dieta.

O dimorfismo sexual é fácil de ser notado, basta observar os peixes do alto que você percebera que a fêmea é mais roliça que os machos, que são maiores e apresentam pequenos espinhos nas nadadeiras peitorais e ao longo do corpo.

São peixes territoriais com a mesma espécie e pacifico com os demais, por isto pode ser mantido em aquários comunitários numa boa.  

Geralmente o macho é que cuidam dos ovos durante a fase de reprodução, os ovos são aderentes e eclodirão, os filhotes irão consumir primeiramente o conteúdo do saco vitelino e após poderá ser alimentado com nauplios de artêmia, microvermes, infusórios e alimentação própria para peixes de fundo.


É muito importante a monitoração da qualidade da água  o mito que muitos aquaristas alimentam é que os cascudos se alimentam de detritos, o que é mentira, evite restos em excesso no substrato para que o peixe não venha sofrer nenhum risco de contaminação nos barbilhos.

26 outubro 2013

Nova espécie - Cyanogaster Noctivaga

Sabemos que nosso país é um grande berçário de espécies de peixes de todos os tipos, e a cada ano novas espécies são descobertas na região amazônica, e devido a sua dimensão temos certeza que muitas novas espécies ainda serão descobertas, fora aquelas que desaparecerão sem que tenhamos conhecimento, em Novembro de 2011 foi descoberto um peixe transparente denominado Cyanogaster Noctivaga com cerca de apenas dois centímetros de comprimento, segundo os pesquisadores se trata de uma espécie de hábitos noturnos.

A denominação Cyanogaster noctivaga faz referencia à coloração e hábitos do peixe, “Cyanogaster” significa “estômago azul” e “noctívaga” faz menção ao “vaguear noturno” da espécie.

Segundo os pesquisadores a região do Rio Negro onde a espécie foi descoberta, parece abrigar mais peixes em miniatura do que qualquer outro rio amazônico, o peixe descoberto é muito frágil e morreu em poucos minutos depois de capturado, ainda nada se sabe sobre seu comportamento na natureza, apenas que tem hábitos noturnos.


Possui o corpo transparente com uma cor azulada na região do ventre, a cabeça possui um tom de cobre e vermelho, durante as pesquisas foi notado que vive em grandes cardumes. Estas descobertas nos mostram porque devemos preservar a natureza, para que no futuro possamos ter em nossos aquários estas belas espécies e assim garantir a permanência da mesma por muitos e muitos anos.

12 outubro 2013

Acestridium Gymnogaster


 Este peixe de aparência exótica é encontrado na região do rio Traíra na Amazônia Brasileira, é mais uma espécie das várias que compõem a família Locaridae, de porte pequeno chegando aos 6 cm de comprimento quando adulto, este peixe possui um corpo alongado e fino, com um “nariz” pontudo e a boca situada no meio.

Da cabeça ao tronco possui sulcos longitudinais que terminam na nadadeira caudal que possui cerca de dez raios, os peixes desta família possuem uma característica que os difere das demais que é a camuflagem, como vivem em pequenos riachos geralmente na margem destes, alguns peixes são esverdeados como as folhas (Acestridium dichromum) ou marrons para se camuflarem com a areia destes riachos.


Infelizmente nada se sabe sobre os hábitos reprodutivos desta espécie, assim como raramente é encontrada nas lojas de aquarismo, mas caso você se depare com um destes peixes, não hesite em adquiri-lo, com certeza ele irá deixar seu aquário ainda mais belo devido seu formato exótico.

30 setembro 2013

Coridora Oiapoquensis


Encontrada na região de fronteira entre Brasil e Guiana francesa (Oiapoque) esta é mais uma linda espécie de coridora que pode habitar em seu aquário.
 É muito parecida com a coridora panda, diferenciando apenas pela falta da mancha no pedúnculo caudal e possuindo uma serie de listras onduladas na cauda, como todas coridoras gostam de viver em cardumes de 10 peixes para cima, em um aquário plantado e sem pedras pontiagudas para não causar ferimentos no peixe.


Aprecia comidas vivas como pequenos vermes ou artêmias assim como ração especial para peixes de fundo, como todo peixe da espécie, são muito ativas e sempre estarão vasculhando o aquário em busca de alimentos.

A distinção entre os sexo se verifica pelo tamanho, geralmente a fêmea é maior que o macho, para conseguir o acasalamento deve-se manter a temperatura em 25ºC, fazer trocas parciais com maior frequência e variar a alimentação, após isto iremos notar um certo nervosismo nos peixes, eles estarão mais agitados que o costume, os machos estarão perseguindo a fêmea por todos os lados do aquário.

Após esta corte a fêmea ira escolher um macho para se acasalar o macho irá dançar em volta dela e se colocar em posição de T, neste momento a fêmea ira depositar os ovos em suas aletas ventrais onde o macho fertilizara, logo após ela irá procurar um local para depositar os ovos, pode acontecer dos pais devorarem alguns ovos, mas sempre ficará alguns que levarão 3 dias para se desenvolverem.

Assim que os filhotes saírem dos ovos, eles se alimentaram do conteúdo do saco vitelino e após consumirem todo o conteúdo você poderá ministrar alimentos vivos, como infusórios ou naúplios de artêmia.


Para deixar os peixes mais a vontade, acrescente algumas folhas secas no aquário, isto ajudará na acidificação da água além de deixar o ambiente mais parecido com a natureza. 

15 setembro 2013

Nutrientes MBreda

Quem já viu os mais belos aquários participantes do concurso Brasileiro de Aquapaisagismo (CBAP) e também os do Concurso Paranaense de Aquapaisagismo (CPA) com certeza deve ter ficado de boca aberta por tamanha beleza.

Mas qual é o segredo destes belos trabalhos? Vou te contar, hoje temos no mercado uma linha de fertilizantes que não fica devendo nada aos importados, desenvolvido com a mais alta tecnologia e pesquisa para suprir as necessidades das plantas naquilo que elas não encontram no aquário, esta linha de fertilizantes pode deixar seu aquário tão belo como os dos vencedores dos concursos que vemos por ai, estou falando da linha de fertilizantes da MBreda.

Esta empresa sediada na cidade de Sorocaba em São Paulo disponibiliza para nós estes excelentes produtos, além dos já conhecidíssimos substratos Amazônia de excelente qualidade e a belíssima Areia Preta BlackBlue.

Micro Nutri – Fertilizante liquido a base de micronutrientes, ele fornece as plantas todos os micronutrientes necessários para o desenvolvimento das mesmas, vem livre de nitratos e fosfatos que são grandes incentivadores das algas, evitando desta forma a proliferação indesejada delas.





Macro Nutri – Este é a base de potássio e foi desenvolvido para fornecer as plantas os Macronutrientes necessários para seu desenvolvimento saudável.
O Potássio é um nutriente que se esgota em nosso aquário, por este motivo é importante à adição do mesmo para auxiliar no metabolismo das plantas e este nutriente veio para suprir esta carência.



Ferro Fe 2+ - Este fertilizante foi desenvolvido à base de ferro quelatado, ele fornece a quantidade ideal do nutriente Fe2+ para as plantas, nesta forma ele vira um ativador enzimático muito importante já que é o principal nutriente para as plantas.
Quelatados de DTPA são muito eficientes porque mantém o ferro assimilável para as plantas por longo período, e sabemos que o ferro influencia na fotossíntese e fixação do nitrogênio nas plantas.


MClean – Este produto possui alto poder de coagulação e floculação de partículas suspensas na água  ele age de forma rápida formando flocos que logo são decantados e filtrados.

Segundo o fabricante ele não altera de forma significativa o PH, coisa que é muito importante, pois uma alteração drástica pode afetar negativamente os peixes e plantas, este produto é indicado apenas para aquários de água doce.

Realizei uma troca parcial em meu aquário dias atrás e testei este produto, confesso que fiquei impressionado pela rapidez com que o produto agiu, em poucos minutos a água estava cristalina e aquela turvação típica que se forma havia desaparecido.

Estou utilizando em meu aquário estes produtos e na primeira semana já foi possível notar a diferença nas plantas, houve um desenvolvimento espetacular em todas elas, com folhas verdinhas e as plantas vermelhas com um aspecto bonito e saudável.

Amigos, outra grande vantagem destes produtos é o preço o que é uma baita ajuda para nós aquaristas, produtos acessíveis e de excelente qualidade é o que esperávamos no mercado Brasileiro e a MBreda veio atender as nossas necessidades, agora basta você usar a sua criatividade e montar seu plantado, o resto a MBreda faz.

31 agosto 2013

Leptolebias Aureoguttatus


A família Rivulidae é uma das quatro mais diversificadas entre as 39 famílias de peixes de água doce do Brasil.(Fonte: Sumário de conservação dos peixes Rivulídeos ameaçados de extinção ICMBio)

Estes peixes anuais possuem algumas espécies de belezas incríveis, hoje vamos trazer para você uma espécie encontrada no litoral do estado de São Paulo até Santa Catarina.

Segundo a lista do ICMBio a Leptolebias Aureoguttatus é considerada em risco de baixo nível, de pequeno porte gosta de viver entre as folhas mortas das poças onde habita. Atingindo cerca de 4 cm, sua reprodução é anual, espécie considerada de difícil manutenção em aquários é indicada para aquaristas experientes em Killifishes, o PH ideal é entre 5.8 -7.0, DH 0 e temperatura entre os 20 a 25ºC.

Segundo alguns aquaristas esta espécie não se adapta a comida industrializada, por este motivo o ideal é o fornecimento de rações vivas balanceadas, alternando entre artêmias, dáfnias, microvermes, etc.

Com um colorido extremamente belo este peixe é muito agressivo entre si, o ideal é ter um aquário com bastantes refúgios para as fêmeas e também um aquário amplo para que os machos possam delimitar seus territórios sem entrar em confronto uns com os outros.


Para a reprodução tenha um recipiente com turfa para que a fêmea possa colocar seus ovos, a diapausa dura cerca de 2 meses e não é necessário proceder com a secagem dos ovos, após o nascimento separe os filhotes do aquários dos pais e alimente-os com infusórios. 

23 julho 2013

Austrolebias Carvalhoi


Este é mais um lindo peixe anual encontrado em nosso País, infelizmente como outras espécies também corre sério risco de extinção, isto devido a destruição de seu habitat seja pela especulação imobiliária, agricultura, poluição etc.

Por este motivo dificilmente é encontrado em lojas de aquarismo já que sua comercialização é proibida devido sua presença na lista de peixes ameaçados do IBAMA, é um peixe belo que possui um ciclo de vida curto, isto faz com que a espécie atinja a maturidade sexual em pouco tempo morrendo logo após por ocasião do período de seca das poças onde habita na natureza.

Atinge cerca de 4 cm, o macho possui mais raios na nadadeira dorsal e anal, alem de ser mais colorido que as fêmeas, segundo os pesquisadores este peixe já foi encontrado em poças rasas de até 50 cm com bastante vegetação.

Sabe-se que os ovos ficam em diapausa e eclodem por ocasião do enchimento das poças no período da estação chuvosa, é uma pena que como outros animais de nosso país este lindo peixinho corra serio risco de desaparecer, cabe a nós aquaristas lutar pela preservação da espécie tentando sua reprodução em cativeiro e também utilizando meios de informação para levar conhecimento aos nossos filhos, netos, sobrinhos sobre a importância de se preservar a natureza da qual também fazemos parte.

12 julho 2013

Hyphessobrycon Stegemanni

Conhecido como tetra savana este peixinho é encontrado na bacia do Rio Tocantins e outros afluentes na região amazônica, atingindo cerca de 3 cm gosta de viver em pequenos córregos de águas calmas onde a vegetação é espessa e comida abundante. 

Com um corpo esguio, ele possui uma faixa preta cintilante que vai da cabeça a cauda, que apresenta dois pontos vermelhos assim como seu olho que tem uma faixa vermelha e outra esverdeada. A nadadeira anal e dorsal ainda apresenta uma leve mancha esbranquiçada. 

Gosta de viver em grandes cardumes, o aquário ideal para a espécie pode ter acima de 80 litros e com bastante vegetação, pode-se utilizar folhas secas para acidificar a água e também imitar o ambiente da espécie, a iluminação ideal é de fraca a moderada.

A temperatura ideal é a tropical que varia dos 25 a 28°C, PH 6.0 e DH 3.0, a espécie é onívora, ou seja, come de tudo, ofereça alimentos vivos pelo menos uma vez por semana, como são peixes pacíficos pode habitar juntamente com outros tetras sem problema, assim como Bandeiras, Discos e outros ciclídeos.
  
Segundo alguns pesquisadores a diferença sexual entre os peixes se dá pelo corpo arredondado da fêmea que também é ligeiramente maior que o macho, que tem o característico gancho dos caracídeos ainda não se conhece detalhes de sua reprodução em cativeiro embora não deve ser diferente de outros caracídeos.


Na Asia já é comum a reprodução da espécie em cativeiro, onde o mesmo é criado em fazendas de Cingapura, Malásia e Hong Kong e abastecem o mercado da região, infelizmente no Brasil, país de origem da espécie ele não é encontrado com facilidade pois é retirado diretamente da natureza e como não existem criadores que reproduzam a espécie em cativeiro ele não frequenta com facilidade as nossas lojas.

30 junho 2013

Aquários Low Tech


Você já ouviu falar em aquários “Low Tech”? Estes são aquários de baixa manutenção, criados de forma autossustentável formados por plantas menos exigentes que dispensam iluminação especial, CO² e fertilização constante.
Nestes aquários as podas são realizadas raramente, pois geralmente utilizamos plantas de crescimento lento, a fertilização liquida também é realizada esporadicamente e caso você tenha substrato fértil esta fertilização pode ser dispensada.
No quesito iluminação também teremos poucos problemas, pois as plantas utilizadas não requerem uma iluminação potente, em relação ao CO² a maioria das plantas utilizadas nos aquários Low Tech dispensa a injeção do mesmo, pois elas têm um metabolismo lento e consegue retirar do aquário o CO² necessário para o seu desenvolvimento. A utilização de Carbon Plus ou similar pode garantir o bom desenvolvimento das plantas por muito tempo.
O substrato também pode ser apenas a camada inerte formada por cascalho de rio ou areia, caso desejar o substrato fértil pode ser utilizado, porem o risco de ocorrer um surto de algas será grande, alguns aquaristas plantam suas mudas em vasos e depois coloca no aquário o que é uma ótima ideia pois desta forma evitará ou terá maior controle sobre as algas.
Em um aquário Low Tech o sistema de filtragem deve ser muito eficiente, procure ter um sistema onde a vazão seja de 3 a 4 vezes o volume do aquário e cuja circulação possa garantir a distribuição dos nutrientes em todos os pontos do aquário.
A manutenção em aquários deste tipo será basicamente nas TPA (troca parcial de água) fertilização liquida caso não tenha substrato fértil de forma esporádica, ou seja, a cada 10 ou 15 dias, podas quando necessário, sifonagem do fundo em locais onde os detritos possam ficar armazenados, e sempre atentar a medida do alimentação dos peixes, ou seja, evitar a superalimentação que causará acumulo e com isto a poluição da água do aquário.
Veja abaixo uma relação de plantas que você poderá utilizar em um aquário Low Tech:
Anubias;
Microsorum;
Musgo de Java;
Bacopa caroliniana;
Egeria Densa;
Hygrophila corymbosa, H. Polysperma, H. Difformis;
Cabomba caroliniana;
Cryptocoryne Balansae, C. pygmaea, C. spiralis, C. willisi;
Echinodorus Amazonicus, Echinodorus Major, Echinodorus Argentinensis;
Apogoneton ulvaceous, A. bouvianus, A. Undulatus;
Vallisneria Americana, V. Asiatica.
Existem ainda muitas plantas que cabem nesta lista, pesquise e você encontrará a ideal para montar seu Low Tech.


18 junho 2013

Austrolebias Nigrofasciatus

Este lindo peixe é muito pouco conhecido devido a sua raridade na natureza, pois devido a destruição do seu habitat o mesmo infelizmente se encontra na lista das espécies ameaçadas de extinção e se nada for feito pelas autoridades logo ele desaparecerá.

É um peixe anual que atinge cerca de 5 cm, apresenta uma bela coloração cinza-azulada com listras pretas-azuladas por todo o corpo, suas nadadeiras ainda apresentam alguns pontos coloridos muito bonito.

O macho é maior e mais colorido, apresentando a nadadeira dorsal e anal mais pontuda e com mais raios do que a fêmea.

Este peixe vive em poças temporárias nos pampas gaúchos onde a vegetação aquática é densa, porem são poças que secam em certos períodos do ano, por este motivo seus ovos mantem-se no estado de diapausa e só eclodem quando há o enchimento das poças durante a estação chuvosa.

O maior risco para este peixe é a destruição destas poças para uso de lavoura, a contaminação por produtos agrícolas, o aterramento para utilização imobiliária ou a contaminação por esgoto.

Fique atento pois como é um peixe em risco sua comercialização é proibida, principalmente se os peixes são coletados diretamente na natureza, caso você tenha alguns exemplares tente reproduzi-los para evitar o seu desaparecimento.

09 junho 2013

Nova espécie de peixe é achada no Rio São Francisco


O Hisonotus Bocaiuva pertence à mesma família do "cascudo", mas ainda há poucas informações sobre seus hábitos.


Ele pertence à família Loricarridae espécie Hypostomus sp. foi descoberto por pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) na Bacia do Rio São Francisco em Minas Gerais.

Batizado de Hisinotus Bocaiuva, o animal foi descrito na última edição da revista científica Ichthyological Exploration of Freshwaters. 

A espécie foi descoberta em maio de 2010, quando os pesquisadores de Botucatu (SP) coletavam outras espécies na região da cidade de Bocaiúva (MG). A característica morfológica mais marcante do peixe é uma crista no topo da cabeça. Segundo o pesquisador e um dos autores do estudo, Fábio Roxo, essa diferença foi essencial para destacar a espécie das demais do gênero.

Com cerca de 20,8 milímetros, o peixe é considerado relativamente pequeno se comparado a maioria das espécies com as quais tem parentesco. O tamanho dos animais da família varia de 30 a 40 milímetros, afirma Roxo.
O pesquisador também afirma que ainda não há informações sobre alimentação, comportamento e ecologia da espécie.

Esse tipo de trabalho normalmente é feito posteriormente à descrição da espécie, uma vez que somente agora sabemos que a espécie é nova. antes nem sabíamos que ela existia.

Porém já é possível afirmar que o animal é natural da bacia onde foi encontrado e seu habitat está associado à vegetação marginal de pequenos a grandes riachos.

Os pesquisadores contam que o Rio São Francisco apresenta um grande número de espécies de peixes, mas, infelizmente, poucas coletas são feitas e há grandes vazios amostrais.


leia este artigo completo no link<http://www,terradagente.com.br/NOT.0.0.836875.Nova+especie+de+peixe+e+encontrada+no+Rio+Sao+Francisco.aspx> extraído no dia 26/05/2013 as 15:50hs.






26 maio 2013

Cynolebias Whitei



Este lindo peixe originário do Estado do Rio de Janeiro pertence à família dos Rivulus, vive em poças temporárias que durante o período de estiagem secam completamente, com uma coloração belíssima formada de pontos brilhantes em um fundo marrom-cobreado, este peixe causa uma bela impressão no aquário. 

No aquário deve-se ter alguns cuidados básicos para se ter sucesso, tais como PH de 6.2 a 6.8, DH 0 a 15 e temperatura entre 20 a 24ºC, de temperamento pacifico gosta de viver em um ambiente calmo e sossegado, evite mistura-lo com peixes mais agressivos ou muito agitados, tais como os Barbos sumatras, tetras e outro.

Os machos são agressivos entre si e por este motivo não devem ser colocados juntos em um aquário muito pequeno, sua alimentação é constituída de artemias, tubifex, larvas de mosquito e outros alimentos vivos, aceita também alimentos em flocos, desde que de boa qualidade.

Sua reprodução pode ser conseguida utilizando um macho e duas fêmeas, utilize um aquário pequeno de 30x15x15 sem cascalho de fundo, coloque uma camada de turfa de até 5 cm de espessura para que os peixes possam desovar, coloque também um tufo de musgo de java para que as fêmeas possam se esconder após o ato de acasalamento.

Na web existem sites especializados em Killifishes, procure informações sobre as espécies e assim obtenha mais conhecimento para a criação destas belíssimas espécies.

13 maio 2013

Hyphessobrycom Cachimbensis


Continuando com nossas postagens sobre os Caracídeos raros no aquarismo, vamos falar hoje sobre o H. Cachimbensis ele é encontrado na região do rio cachimbo na bacia do Tapajós na região amazônica, atingindo cerca de 4 cm este belo peixinho gosta de viver em grandes cardumes de 10 peixes para cima o que o torna um peixe ideal para plantados, gosta de nadar a meia água e só sobe a superfície em raros momentos para agarrar algum alimento.

De coloração prateada com um risco preto azulado que vai da cabeça até a cauda, ele possui o olho com uma coloração amarelo circundado por um circulo vermelho, as nadadeiras apresentam uma leve coloração amarelo esverdeado.

Como todos caracídeos ele come de tudo, ofereça de preferência artêmias, dáfnias e outros alimentos vivos, mas ele pode aceitar muito bem alimentos flocados de boa qualidade.

O aquário deve ter as seguintes condições: PH de 6.0 à 6.5, DH 5 e temperatura entre os 26º à 28ºC, infelizmente são raríssimos no hobby e pouca informação temos sobre sua reprodução em cativeiro, segundo alguns pesquisadores ele como os outros caracídeos não cuidam dos filhotes, dispersam seus ovos no ambiente e por isto é importante a presença de muitas plantas no aquário para evitar a canibalização por parte dos pais, também não se sabe se os ovos são sensíveis a claridade, por este motivo é aconselhado manter o aquário com uma iluminação bem fraca.
Caso você tenha a sorte de encontrar este peixe, adquira-o e nos conte sua experiência.

26 abril 2013

Hyphessobrycon heliacus

Mais um belo Caracídeo encontrado no Brasil, originário do rio Tapajós esta bela espécie é mais um da série dos peixes raros que estamos postando aqui.

Atingindo até 3 cm quando adulto este peixe possui uma bela cor dourada com uma mancha negra na cauda, os machos apresenta ainda o conhecido "gancho" na nadadeira anal.

Os olhos apresenta uma mancha vermelha que dá um belo aspecto ao peixe, como ainda é pouco conhecido no meio aquarístico, pouco se sabe sobre sua reprodução em cativeiro, mas como a maioria dos Caracídeos eles também são disseminadores livre, ou seja, colocam os ovos sobre as plantas e raízes e não cuidam da prole. 

Ideal para aquários plantados, gosta de viver em cardumes e aprecia um ambiente com muita vegetação, iluminação moderada, PH 6,8 e temperatura de 26º a 28ºC, come de tudo, desde pequenas larvas, artêmias, dáfnias até alimentos flocados.

Dificilmente é encontrado nas lojas de aquário, mas se você deparar com ele, não perca a oportunidade e adquira um pequeno cardume para deixar seu aquário mais belo.

10 abril 2013

Hyphessobrycon Mutabilis

Continuando com nossa serie sobre alguns peixes da família Characídae vamos falar hoje sobre mais um raro exemplar o H.Mutabilis. 

Encontrado na região do Alto Xingu este peixinho vive em córregos de água rasa e clara, aprecia ambiente com muitas plantas onde pode se esconder dos predadores.

Gosta de PH acido entre os 6,6 e 6,8, temperatura tropical e DH de 2 a 15, atingindo até 3cm de comprimento ele apresenta uma uma faixa longitudinal que se estende da cabeça até a barbatana caudal ainda apresenta uma faixa verde escuro metálico que as vezes  tende ao dourado.

Como todo Caracídeo  ele aceita de tudo na sua alimentação, desde comida flocada á artêmias, dáfnias e outros alimentos vivos. Por não ser muito comum na aquariofilia não se sabe muito sobre sua reprodução, acredita-se que sua reprodução deve ser parecida com os demais Caracídeos  com os pais não cuidando da prole mas pondo os ovos livremente entre as plantas.

                                                                            H.Pyrrhonotus

30 março 2013

Sera Siporax Professional



Todo aquarista deseja ter um aquário bonito com água cristalina, plantas verdinhas e viçosas. 
Muitas vezes não conseguimos este efeito pela incapacidade de nossos filtros em realizar uma filtragem eficiente, os elementos como a lã, as cerâmicas e outros elementos filtrantes devem ter uma qualidade muito boa para que não fiquem saturados em pouco tempo.

A Sera lançou no mercado as cerâmicas Sera Siporax Professional que tem a capacidade de criar um ambiente eficiente na formação das bactérias que decompõem as substancias orgânicas do aquário, ela tem uma estrutura de túneis e poros abertos em três dimensões, isto permite a formação de biofilmes de alta capacidade na filtragem do aquário.

Segundo o fabricante nestes biofilmes se desenvolvem bactérias nitrificantes e desnitrificantes, alem de outras que decompõem as substancias orgânicas, infelizmente o custo para nós aqui no Brasil deste produto ainda é muito alto e poucos aquaristas terão a oportunidade de ter em seus filtros um sistema tão eficiente como este.

18 março 2013

Hyphessobrycon Bentosi


Este lindo caracídeo, conhecido como Rosáceo é originário da bacia Amazônica, medindo cerca de 4cm é mais um belo exemplar para seu aquário plantado.

De temperamento pacifico, adora viver em pequenos cardumes de 5 a 10 peixes, sua cor é rosada com as nadadeiras apresentando alguns pontos vermelhos, a nadadeira dorsal é mais alongada e apresenta uma mancha negra.

As fêmeas da espécie são mais arredondadas e menores, já os machos tem o famoso “gancho dos caracídeos”. É pacifico e muito resistente, come de tudo desde comida em flocos até alimento vivo.

No aquário mantenha muitas plantas para que o peixe se sinta mais a vontade, água ligeiramente acida e temperatura entre 22º a 26ºC.
Coloque-o juntamente com outros caracídeos e você ficará fascinado com a beleza proporcionado ao seu aquário.


25 fevereiro 2013

Cascudo Pepita de Ouro


Existem diversos membros da família Loricariidae que possuem uma bela coloração sendo peixes muito procurados por entusiastas da espécie, entre eles vamos destacar o Cascudo Pepita de Ouro que é uma espécie belíssima.

Com uma coloração negra salpicada por pintas amarelas a espécie ainda tem a sua cauda e nadadeira dorsal amarelas, de temperamento agressivo com peixes da mesma espécie, ele é indicado para aquários grandes e com diversas tocas para o peixe se esconder.

Nativo do Rio Xingu e afluentes ele vive em pedras localizadas em locais de correnteza forte a moderada, come pequenos vermes, algas e restos de outros alimentos por ali encontrado.

Ao adquirir um peixe da espécie, procure alimenta-lo com alimentos especiais para peixes de fundo, adquira alimento de qualidade pois geralmente o peixe chega nas lojas debilitado e estressado devido a captura e viajem até chegar as lojas dos grandes centros.

Existem três variedades de cascudo Pepita de Ouro, a diferença entre eles é nas bolas amarelas que podem ser numerosas ou não, este peixe chega a viver quando bem adaptado cerca de 25 anos, dificilmente se reproduz em cativeiro porem sabe-se que alguns aquaristas europeus e asiáticos já conseguem reproduzi-lo em tanques especialmente adaptados.

O aquário para o peixe deve ter PH entre 6,8 a 7,0 temperatura tropical cerca de 28ºC e no mínimo 200 litros, crie ambientes para o peixe se esconder como tocas e troncos iluminação difusa e evite pedras com pontas cortantes para não machucar o peixe.

Outro cuidado que o aquaristas deve ter é com a qualidade da agua pois mudanças bruscas podem afetar o peixe e até causar sua morte.






12 fevereiro 2013

Hyphessobrycon Hamatus


Este peixinho pertencente a família Characidae é encontrado em dois afluentes que se ramificam no Rio Vermelho na região Amazônica próxima do rio Tocantins, vivendo em PH de 6 a 6,8 gosta de temperatura tropical e DH de 5-10.

É muito parecido aos H.Socolofi e H. Erthrostigma possui uma cauda semitransparente com uma risca vermelha fraca que vai da cabeça até a cauda, possui cerca de 5cm de comprimento e gosta de viver em grupos de 10 indivíduos para cima, são pacíficos mas quando criados em ambientes pequenos ficam estressados e passam a perseguir outros peixes mais lentos.

Sua dieta é onívora, ou seja, come de tudo mas o ideal é mesclar com alimentos vivos para ajudar a manter as cores do peixe mais vivas, as informações sobre sua reprodução ainda é bem rara mas sabe-se que é bem parecido com os de outros tetras.

É um peixe raro ainda nas lojas brasileiras por este motivo possui um alto valor comercial quando é encontrado.

Abaixo outra espécie rara encontrada na região Amazônica.

27 janeiro 2013

Tetra Enfermeirinha - Aphyocharax Anisitsi

Este lindo peixinho da família Characidae é encontrado nas regiões tropicais da América do Sul, principalmente na bacia do Rio Paraná, de temperamento pacifico é um belo exemplar para habitar os aquários plantados e comunitários, devido ao seu pequeno tamanho deve-se evitar coloca-lo junto com peixes maiores para que ele não vire petisco já que atinge no máximo uns 5 cm de comprimento.
 
É indicado para todo grupo de aquaristas, desde os iniciantes aos mais experientes quando bem adaptado pode viver até 10 anos.
 
O aquário ideal para a espécie deve ter PH de 6.0 a 7.0, DH de 15 a 30 e temperatura entre os 20 a 28ºC, também deve ter uma grande quantidade de plantas para que a espécie se sinta mais confortável e segura, é um ótimo parceiro para neons e outros tetras de pequeno porte, procure manter grupos de 6 a 20 indivíduos para que eles tenham um comportamento mais natural.
 
A alimentação pode ser variada, pois a espécie é onívora, ou seja, come de tudo, porem é bom acrescentar periodicamente alimentos vivos para a espécie manter sua coloração mais exuberante.
 
É um peixe ovíparo, disseminador livre que não cuidam da prole, os machos são mais magros e possuem o tradicional “gancho” dos caracídeos.