15 novembro 2017

Rasbora Galaxy

Conhecida como Dânio celestial ou Rasbora galaxy, este peixinho é realmente “divino”, maravilhoso, belíssimo, encantador, etc, etc e etc, com cores incríveis, pacífico e tamanho pequeno ele encanta qualquer pessoa que o vê pela primeira vez.

Descoberto em 2006 ele logo se tornou a sensação do aquarismo plantado devido sua extrema beleza, com manchas marcantes iridescentes de cor laranja, possui o corpo azul metálico que cria um contraste incrível, suas nadadeiras são translucidas com as pontas laranjas e uma pequena faixa preto-azulado.

O Celestichthys margaritatus é um peixe de fácil manutenção, pacifico, onívoro e gosta de aquários densamente plantados com temperatura de 22ºC a 26ºC, PH 6-5 a 7-5 e KH de 8-12, é encontrado na Índia e pertence a família Cyprinidae que reúne alguns dos mais belos peixes de água doce.

Deve ser mantido em cardumes de no mínimo 10 peixes, e você se surpreenderá ao ver tamanha beleza reunida, o aquário deve ter rochas e troncos criando um ambiente agradável para o peixe e muitas plantas.

Pode ser criado juntamente com outros peixes de pequeno porte como nossos Tetras e outros, o macho da espécie possui a coloração mais brilhante e um corpo mais longilíneo, já a fêmea é mais arredondada e um pouco mais pálida em relação ao macho, é comum ver os machos duelando com suas nadadeiras abertas e as cores brilhantes em evidencia, nadando lado a lado em uma dança sincronizada.

Sua reprodução em cativeiro é fácil e muitos aquaristas já conseguiram realiza-las com grande sucesso, sabe-se que as fêmeas colocam cerca de 30 ovos, que são dispersados pelo aquário, sendo necessário a remoção dos pais logo após a postura para evitar a predação.

Você pode colocar no aquário de reprodução um pote com musgos onde os peixes depositarão seus ovos e assim dificultará a predação, após três dias os ovos eclodirão, os filhotes nascem escuros e com o passar dos dias vão adquirindo a cor característica, devem ser alimentados com infusórios e náuplios de artêmias.

Infelizmente ainda é pouco encontrado nas lojas brasileiras e quando vistos possuem um preço elevado, mais vale a pena obter esta espécie para embelezar ainda mais seu aquário.

27 outubro 2017

Sewellia lineolata

Originário do Sudeste Asiático este peixinho atraente e exótico chama a atenção pelo seu aspecto singular e comportamento pacífico, pertencente a família Gastromyzontidae, ele é encontrado em rios no Laos e Vietnã.

Nestes locais vivem em áreas de fluxo rápido, como corredeiras e cascatas onde o fluxo de oxigenação é bem alto, assim como nossos cascudos, este peixe vive preso as rochas e troncos por suas poderosas ventosas.

Atingindo até os 6cm de comprimento é um peixe que gosta de viver em aquários com água limpa e bem oxigenada, com muitas rochas e troncos e se possível com um fluxo de movimentação da água médio no fundo do tanque para que o mesmo simule o habitat natural da espécie e ofereça muita oxigenação.

No aquário não é necessário o uso de plantas aquáticas, apenas decoração com rochas e troncos já é o suficiente para que o peixe se sinta quase em casa, a temperatura ideal para a espécie é de 20ºC a 25ºC e PH de 6,0 a 7,0.

Na natureza se alimenta de algas e pequenos micro-organismos, no aquário devemos oferecer alimentos próprios para peixes de fundo, ricos em espirulina e derivados, evite alimentos caseiros porque podem não suprir todas as necessidades dos peixes fazendo-o definhar rapidamente.

Ao fazer a limpeza do seu aquário, evite escovar as rochas e troncos, deixe que as algas presentes nestes locais sejam consumidas pelo peixe, assim ele terá mais alimento disponível.

As diferenças entre macho e fêmea é observada através da cabeça e corpo, as fêmeas possuem um corpo mais largo que os machos, isto fica bem evidente quando se observa o peixe por cima, sua reprodução em cativeiro já foi conseguida por alguns aquaristas e segundo matérias postadas, o ambiente deve estar bem equilibrado para que a postura dos ovos ocorra com sucesso.

11 outubro 2017

Tylomelania SP “Orange”

Para aqueles aquaristas que curtem animais exóticos em seus aquários, segue aí um caramujo que ainda é pouco encontrado no Brasil, se trata do caramujo laranja, esta espécie da classe dos gastrópodes é muito bonita e chama a atenção pelo seu belo colorido amarelo-alaranjado, pertence a família dos pachychilidae, é encontrado na região de Sulawesi na Indonésia, local de animais incríveis.

Com tamanho de até 12cm onde geralmente os maiores exemplares são as fêmeas, este caramujo é de fácil reprodução, mas segundo criadores sua fecundidade é muito baixa.

Com sua concha longa e em formato cônico, lembra muito uma casquinha de sorvete, esta família de gastrópodes possui espécies de diversas formas e cores variadas, possui uma espécie de “tromba” na cabeça e tentáculos cefálicos de tamanho médio.

Na natureza vivem em ambientes de águas limpas e com alta transparência, a temperatura gira em torno dos 27º a 31ºC, no aquário se alimenta do material orgânico e também das algas.


Como é uma espécie exótica, devemos ter o cuidado de não descarta-los em rios e lagos da nossa região para evitar possíveis danos ambientais, pois a introdução de espécies estranhas em nosso ecossistema pode causar danos gigantescos

.

29 setembro 2017

Bucephalandra “Broad Wavy”

Esta linda variedade da Bucephalandra conhecida como Broad wavy é originária de Bornéu pertencente à família Araceae ela é uma espécie de fácil adaptação e manutenção.

De tamanho pequeno, esta linda planta lembra as pequenas Anubias e podem ser usadas para compor o layout no meio de rochas e troncos na parte frontal do aquário.

Com suas folhas onduladas ela é destaque em qualquer montagem, pois sua bela coloração verde escura faz com que ela seja destacada em meio as plantas de cores mais claras ou vermelhas.


Deve ser plantada igual as Anubias, ou seja, sem cobrir o rizoma, indicada para aquaristas de todos os níveis pois ela não é exigente em relação a iluminação e CO², possui crescimento lento e atinge até uns 10 cm de comprimento.

*Imagens obtidas na Internet

11 setembro 2017

Montando um Hardscape básico - troncos e raízes

Olá aquaristas, hoje vamos falar sobre como montar um hardscape básico para aquários plantados utilizando troncos ou raízes, vamos lá.

Hoje existe nas lojas diversas opções de raízes e troncos para a montagem de um belo hardscape, dependendo do tamanho do seu aquário eu aconselho o uso de raízes devido suas formas emaranhadas que darão um aspecto muito legal dentro do aquário.

O uso de troncos lisos geralmente não traz um aspecto tão bacana como as raízes, mas isto fica a critério de cada um, já vi aquários com troncos que possuíam uma montagem espetacular.

Na montagem com raízes, as mesmas costumam ser posicionadas no meio ou nos cantos do aquário, sem encostar nos vidros para dar um aspecto mais natural, para fixa-las no fundo, você pode usar uma ventosa adaptada na raiz, ou amarra-la em alguma pedra que ficará escondida no substrato.

Os troncos geralmente são mais pesados e podem ser colocados no aquário sem problema pois não flutuarão, procure posicionar as raízes ou troncos de forma bem natural, cobrindo algumas partes no substrato e outras não, isto criará uma visualização bem interessante.

Os troncos podem ser posicionados de forma inclinada para ficarem mais naturais no ambiente, você pode mescla-los com rochas ou também com raízes, monte o hardscape e peça opiniões antes de defini-lo, assim você terá outras visões que poderão te ajudar a deixar seu aquário bem bonito.

Mesclar as raízes com rochas facilita a criação de hardscapes incríveis, caso você opte por esta mescla, utilize rochas como as Dragon rock, Seiryu stone rock, entre outras.

Acredito que não existe uma regra a ser seguida, tudo depende do seu gosto e sua criatividade, aquilo que é bonito para mim, pode não ser para você, por isso evite copiar os aquários que você vê na internet, crie seu próprio estilo, você pode e deve ler muito e ver várias montagens, afim de obter informação e conhecimento, mas nunca deve seguir um modelo padrão, pois modelos engessam e tiram a naturalidade da coisa.



Para efetuar o plantio, tente plantar entre as raízes, geralmente as plantas carpetes criam um aspecto muito legal, você pode amarrar musgos ou outras plantas como as Microsorium e Anubias nas raízes e troncos, isto deixará a montagem bem legal também, caso você queira deixar as raízes visíveis, opte por plantar apenas musgos nelas e sempre faça a poda para conter o avanço do mesmo e assim não cobrir toda raiz, mas caso ele cubra o aspecto também é bem bonito.

03 setembro 2017

Didiplis diandra

Esta linda planta é muto apreciada pelos aquapaisagistas, isto devido a coloração belíssima que a planta adquire quando mantida sob iluminação intensa, sob esta condição sua folhas adquirem um tom acobreado muito bonito que se destaca entre as outras plantas criando um belíssimo cenário.

A Didiplis diandra é originária da América do Norte, atinge cerca de 40 cm e precisa das seguintes condições: PH 6,0 a 7,0, temperatura de 22ºC a 26ºC, iluminação forte, CO² e substrato fértil.


Deve ser plantada no meio do layout onde formará grandes moitas que darão um impacto visual muito bonito. É indicada para aquaristas experientes no manejo de plantas mais delicadas porque esta espécie necessita de certos cuidados e conhecimentos, que um aquarista inexperiente ainda não terá.