22 maio 2017

Hidropsia

A Hidropsia é um mal que deriva de um conjunto de sintomas e doenças que causam a retenção de líquidos no corpo do peixe, é facilmente notado no corpo do animal uma série de infecções e também se percebe problemas intestinais que causam o inchaço do animal.

Ela pode ser causada por vírus, bactérias, dieta deficiente, parasitas internos, péssima qualidade de água, amônia em excesso, etc.

É muito comum em cíclideos africanos, ciprínideos e os anabatídeos, causa um inchaço no peixe deixando suas nadadeiras saltadas, seus olhos podem ficar saltados ou afundar nas orbitas, os peixes afetados por esta doença perderão o apetite e ficarão parados no fundo do aquário ou respirando de forma ofegante na superfície, ainda perdem a capacidade de nadar corretamente e o equilíbrio.

Alguns estudiosos identificaram 3 causas principais para a Hidropsia são elas:
Excesso de sal (NaCl);
Agua de má qualidade – falta de trocas parciais, filtragem inadequada, excesso de peixes, etc.
Dieta inadequada – alimentação pobre em nutrientes, falta de variação, alimentos de péssima qualidade, etc.
 

O tratamento da doença é difícil e quando os sintomas já estiverem aparentes provavelmente já haverá danos irreversíveis nos órgãos internos do peixe, por isto você deve manter o ambiente aquático sempre limpo, alimentação balanceada e rica em nutrientes.

08 maio 2017

Xiphophorus nezahualcoyotl

A família dos Poecilideos é famosa por nos brindar com alguns peixes que já fizeram e ainda fazem a cabeça de muitos aquaristas, quem não conhece os Guarús, Platis, Molinésias, Lebistes, etc? Peixes de fácil manutenção e extremamente prolíficos, ideais para introduzir a criançada no aquarismo e despertar a paixão em muitos marmanjos.

Hoje quero apresentar um Mexicano muito bonito, o Xiphophorus nezahualcoyotl, ou para ficar mais fácil, Porta espada da montanha do Norte, este nome é uma homenagem a um rei famoso que existiu na zona de Texcoco no México.

Habita em regiões montanhosas em rios de fluxo rápido, é encontrado em partes da América Central e em rios como o Tamesi no estado de San Luís de Potosí no México.

Possui o corpo longo, os machos ainda levam a nadadeira anal alongada como uma espada, já as fêmeas possuem a nadadeira arredondada, a nadadeira do macho é amarela alaranjada e possui uma linha fina preta que bordeia a mesma, os machos ainda podem apresentar uma coloração translucida quando excitados.

Atingem cerca de 5cm quando adultos o sexo é facilmente distinguido pela cauda dos animais, gostam de viver em temperatura de 19ºC a 26ºC, PH 7.0 – 8.0 e Dureza média.

São peixes que não cuidam da cria, neste caso os animais devem ser separados dos filhotes assim que nascem para evitar a predação, são onívoros e apreciam muito alimentos vivos, o aquário deve possuir um bom sistema de filtragem e com corrente já que o peixe vive em águas agitadas.


Alguns criadores recomendam aquários dedicados apenas a espécie, mas podem se adaptar a um aquário comunitário sem maiores problemas, os machos costumam ser agressivos entre si, por isto é ideal possuir um aquário grande para que os peixes não se estressem muito na luta por território.


20 abril 2017

Cryptocoryne Pontederifolia

Esta linda planta da família Araceae, é mais uma daquelas plantas que não podem faltar em um aquário plantado, ela é originária do continente Asiático e se desenvolve melhor em temperaturas de 23º a 28ºC.

Atinge uns 25cm de comprimento e pode ser plantada no meio do aquário ou em uma área de transição com as plantas do fundo, seus cuidados são: iluminação baixa a moderada, PH de 6 a 7, substrato fértil e não é necessário o acréscimo de CO².


Possui crescimento lento, mas quando bem adaptada se reproduz rapidamente através de estolões, muito sensível as mudanças bruscas dos parâmetros físicos do aquário, por isto tenha muito cuidado para não perder o exemplar durante as trocas parciais.

05 abril 2017

Ictio - Conheçendo esta perigosa doença

Talvez uma das doenças mais comum em aquários, ela é potencialmente danosa aos peixes e podem acabar com a população em pouco tempo caso não seja adequadamente combatida e erradicada.

O aquário pode ser contaminado através de outros peixes, plantas, camarões, rede de coleta, etc. o Ichthyophthririus multifiliis, geralmente irá se manifestar quando houver queda brusca de temperatura e você poderá notar nos peixes pequenos pontos brancos.

Os peixes passam a raspar-se em pedras e troncos como coçando a pele, e caso a doença não for tratada em pouco tempo ela tomará todo o corpo do animal, atingindo suas brânquias e matando-os em poucos dias.

É uma doença extremamente letal para neons e outros peixes de pequeno porte, já perdi um cardume de mais de 20 peixes devido esta enfermidade.

Para um tratamento eficaz, você deve retirar o peixe do aquário assim que notar a presença da doença, e transferi-lo a outro ambiente onde irá medica-lo, mantenha a temperatura do aquário hospital em 30ºC, manter o aquário em um ambiente escuro, já que o Ictio não se reproduz na escuridão, aeração forte, remédios próprios para combater a doença e reforce a alimentação dos peixes doentes de preferência com alimentos vivos.

Em poucos dias a doença desapareçerá e os peixes poderão retornar ao aquário principal, no aquário principal, evite quedas bruscas de temperaturas, que podem ocorrer quando existe as TPA, por isto sempre teste a temperatura antes de realizar o enchimento do aquário.

Alguns remédios que combatem a doença: 
  • Labcon Ictio – da Alcon, produto nacional de preço acessível encontrado em qualquer loja especializada porém não recomendado para peixes como os neons;
  • Ick easy Mydor – da Mydor, produto importado;
  • JBL MedoPond Plus - da JBL, produto importado.

02 março 2017

Cynolebias bellottii

Com uma cor azul cromada belíssima, este “Hermano” irá seduzir a qualquer amante de peixes da família rivulidae, o macho possui uma coloração exuberante, azul escura que muda as vezes para um azul esverdeado nas regiões das barbatanas.

O corpo e as barbatanas são salpicados com manchas brancas peroladas, as fêmeas geralmente são ocre ou possuem uma cor amarelo esverdeado, ambos possuem uma listra escura através dos olhos.

São encontrados em poças e valas durante a época de chuva, os machos criam pequenas covas na lama onde as fêmeas depositam um único ovo, que após fertilizado é coberto pelo macho, isto acontece várias vezes e quando chega a seca os pais morrem mas garantem a sobrevivência da espécie que “brotará” nas próximas chuvas.

Sua reprodução em cativeiro requer temperatura entre os 22°C e água ligeiramente salobra, após a desova os peixes devem ser retirados do ambiente e drene toda a agua do aquário, porem mantenha a areia úmida o suficiente para garantir a eclosão dos ovos.


Ela deverá ocorrer dentro de 3 semanas, os filhotes após o consumo do saco vitelino poderão ser alimentados com dáfnias e outros microvermes.

10 fevereiro 2017

Descarte Responsável

Recentemente realizei uma grande mudança no meu aquário, desmontei-o completamente, descartei diversas plantas, troquei o substrato, musgos, etc.

Enquanto realizada este trabalho, fiquei pensando no aquarista iniciante ou até o mais experiente, o que você faz com as plantas e peixes que não quer mais?

Li uma matéria em uma revista de aquarismo, falando sobre espécies invasoras em diversas represas de São Paulo, só para exemplificar, na represa de Mairiporã localizada no município de mesmo nome na Grande SP, foram encontrados, Kinguios, Lebistes, espadas e outras espécies que não são originárias da região.

Já imaginou o estrago que está sendo causado por estes peixes neste ambiente? o kinguio é um peixe voraz que come de tudo, imagine o que ele pode causar para a fauna local?

Agora porque isto aconteceu? Porque algum aquaristas se cansou do peixe e acreditando que estava fazendo algo correto o descartou na represa, não imaginando as terríveis consequências para a fauna local.

Plantas, peixes, camarões, etc nunca devem ser descartados em rios ou lagos, se você não os quer mais, existem alternativas mais corretas que você pode tomar como doar para alguém, doar nas lojas especializadas ou sacrificar o animal, parece absurdo? Mas acredite, é o mais sensato a fazer.

As plantas devem ser deixadas no sol para secar e após ser descartadas no lixo, nunca jogue no vazo sanitário ou nos rios, imagine o estrago que um musgo-de-java pode causar em uma tubulação, por exemplo.


Seja consciente e pense bem no que irá fazer antes de descartar alguma coisa de seu aquário e também pense bem antes de comprar e presentear alguma criança com um peixinho dourado, as consequências de um ato bem intencionado podem ser catastróficas!