15 janeiro 2018

Cuidado das plantas

Nós aquaristas que criamos plantas naturais em nossos aquários, às vezes nos deparamos com problemas que nos deixam de cabelo em pé, é aquela linda planta que não se desenvolve, são folhas que teimam em amarelar, planta que cresce igual uma girafa, longa e sem folhas, só caule, etc, etc e etc...

Abaixo listamos alguns problemas comuns que podem estar ocorrendo em nossos tanques, vejamos:

Iluminação – os principais sintomas da falta de iluminação estão na presença de folhas pálidas, crescimento raquítico, folhas que ficam deformadas devido à busca por iluminação, folhas verdes que ficam amarelas e folhas vermelhas que ficam verdes, devido à falta de luz as folhas morrem já que o processo da fotossíntese não se realiza de forma correta, a planta doente deve ser exposta a uma intensidade superior de luz em períodos da manhã, de preferencia a luz solar por um período de até 3 horas por dia, até se recuperar e  poder voltar para o aquário, mas lembre-se, a luz do aquário deve ser corrigida para atender as demandas da plantas para ela não voltar a definhar.

Nutrientes - as folhas com manchas marrons ou amarelas mostram que existe uma falta de ferro, a falta de crescimento e folhas inclinadas para baixo indicam a falta de nitrato e potássio, estes devem ser repostos em forma de nitrato de potássio e sulfato de potássio.

CO² – crescimento lento e pouco exuberante, excesso de algas nas folhas e falta de floração podem indicar a falta de CO² o mesmo pode ser oferecido com o uso de cilindros ou liquido como o Flourish Excel, Carbon Plus ou o Carbon Mbreba.

Temperatura – as temperaturas baixas deixam as plantas debilitadas, assim como a alta temperatura, lembre-se que a maioria das plantas são tropicais e vivem em temperaturas tropicais que geralmente chegam no máximo aos 28º.

Filtragem – a falta de uma filtragem adequada irá criar um excesso de elementos orgânicos presentes no aquário que ao se decompor irão gerar nitritos que em grande quantidade é prejudicial aos peixes e plantas.


Observe se seu aquário está com alguns destes sintomas e procure corrigir para que as plantas possam se desenvolver de forma saudável e exuberante.



30 dezembro 2017

Hyphessobrycon itaparicensis

Hoje quero apresentar para vocês mais um lindo tetra, infelizmente ainda é pouco encontrado mas lojas especializadas talvez pela destruição do seu habitat natural.

Hyphessobrycon itaparicensis é um lindo peixinho que vem para encantar os aquaristas que amam os Caracídeos, ágil e alegre, gosta de ambientes com temperatura entre 22 ° C e 28 ° C, PH acido e comem de tudo, preferencialmente artêmias e outros pequenos alimentos vivos.

Como já disse acima, o peixe é encontrado nos estados do Piauí e Sergipe, em riachos localizados nos fragmentos da mata atlântica que existe nestes locais e como estes ambientes estão sendo destruídos o peixe corre serio risco.

Devem ser mantido em cardumes de 10 peixes no mínimo, o aquário ainda deve ter bastante vegetação para que o peixe se sinta seguro, caso tenha o interesse de criar juntamente com outros tetras, observe as condições químicas da água, pois o peixe é muito sensível às mudanças bruscas.


No aquário do H. Itaparicensis é aconselhável realizar a troca parcial semanalmente porem sempre observando os parâmetros físicos e químicos da água, tais como PH, DH e temperatura.

Sua reprodução é desconhecida, mas deve seguir como de outros tetras já conhecidos, ou seja, devem ser disseminadores livres não cuidando da prole.

Para nós aquaristas que nos deparamos com novas espécies, ou peixes raros é muito importante tentar a reprodução pois desta forma aliviará a captura da espécie na natureza e irá garantir sua sobrevivência no futuro.

18 dezembro 2017

Melanotaenia boesemani

Os chamados peixes arco-iris ou em inglês Raibow fish, são espécimes belíssimos encontrados na Nova Guiné Ocidental na Indonésia, são peixes com coloridos exuberantes e formato peculiar, infelizmente devido ao comércio sem regras e a captura sem controle a espécie está na lista vermelha da IUCN – International Union for Conservation of Nature - das espécies ameaçadas de extinção.

O bom é que já existem diversos criadores preocupados com esta situação e estão reproduzindo a espécie em cativeiro para evitar a captura na natureza.

O M. boesemani é um peixe de fácil manutenção, indicado para aquaristas experientes e iniciados, ele requer alguns cuidados como PH que deve ser mantido de 7.0 a 7.8, temperatura de 26° a 30°C e bastante vegetação.

É um exímio saltador, por isto é importante que o aquarista tome as precauções necessárias para evitar a perda do animal, em cativeiro pode viver cerca de 5 anos.

É um peixe onívoro, e para que as cores fiquem mais acentuados o ideal é fornecer alimentos vivos semanalmente e alguns alimentos rico em proteína vegetal.

As diferenças entre macho e fêmea é facilmente percebida pelo tamanho do macho que é maior e por seu colorido mais intenso, são peixes bastante ativos e adoram viver em cardumes, chegam aos 11cm facilmente, por isso o aquário deve ter tamanho suficiente para que a espécie não se sinta apertada.

A reprodução pode ser conseguida em aquários, porem são peixes disseminadores livres, não cuidam da prole, e após a desova é importante retirar os pais para que não devorem todo os ovos.

Os ovos eclodirão em até 12 dias, são muito sensíveis a iluminação forte, procure manter uma luz bem fraca de forma indireta no aquário, plantas flutuantes podem ajudar bastante neste ambiente.

Com seu colorido espetacular, este peixe é sem duvida uma verdadeira joia no aquário, antes de aquirir o seu procure saber da procedência do animal, se é criado em cativeiro ou se foi capturado na natureza, lembre-se que a extinção não tem volta e podemos ser responsáveis pela perda de espécies belíssimas que nossos filhos e netos poderão nunca conhecer. 

30 novembro 2017

Nerite snails

Os caramujos do gênero neritina são muito populares no aquarismo, possuem belas colorações e são fáceis de criar além de serem ótimos comedores de algas; contribuindo assim para a limpeza do aquário.


Alguns cuidados devem ser observados ao adquirir um espécime novo, como verificar a concha se ela não apresenta nenhuma fratura, verificar a movimentação do animal, eles são animais ativos e estão sempre caminhando pelo aquário, evite animais que estejam parados ou se mostrem inativos por muito tempo isto pode ser sinal de alguma doença, observe também se o casco do animal não está vazio.

Existem algumas variedades de caramujos Nerite, que são: Zebra Nerite Snail, Tiger Nerite Snail, Olive Nerite Snail, Black Racer Nerite Snail e Horned Nerite Snail.

Black Nerite – possui riscos em seu casco que correm paralelos entre si, geralmente possuem uma coloração marrom escura puxando para o preto acinzentado;

Tiger Nerite – belíssimo caracol, possui sua concha marrom claro com manchas negras que lembra as manchas dos Tigres, este é sem duvida um dos mais belos da espécie;

Zebra Nerite – outro exemplar belíssimo com sua concha dourada marcada por listras pretas, este caracol é simplesmente encantador;

Ainda existem muitos outros, mas quero destacar apenas estes três espécimes que devem fazer parte do seu plantel por sua beleza.

Eles gostam de temperatura tropical, ou seja, 23ºC a 27ºC, preferem água com PH alcalino entre 7,0 a 7,5, são muitos sensíveis a variações bruscas de nitrato e amônia, por isto você deve ficar atento a estes parâmetros, uma suplementação de cálcio é muito importante, pois irá fortalecer sua concha e mante-la saudável.





15 novembro 2017

Rasbora Galaxy

Conhecida como Dânio celestial ou Rasbora galaxy, este peixinho é realmente “divino”, maravilhoso, belíssimo, encantador, etc, etc e etc, com cores incríveis, pacífico e tamanho pequeno ele encanta qualquer pessoa que o vê pela primeira vez.

Descoberto em 2006 ele logo se tornou a sensação do aquarismo plantado devido sua extrema beleza, com manchas marcantes iridescentes de cor laranja, possui o corpo azul metálico que cria um contraste incrível, suas nadadeiras são translucidas com as pontas laranjas e uma pequena faixa preto-azulado.

O Celestichthys margaritatus é um peixe de fácil manutenção, pacifico, onívoro e gosta de aquários densamente plantados com temperatura de 22ºC a 26ºC, PH 6-5 a 7-5 e KH de 8-12, é encontrado na Índia e pertence a família Cyprinidae que reúne alguns dos mais belos peixes de água doce.

Deve ser mantido em cardumes de no mínimo 10 peixes, e você se surpreenderá ao ver tamanha beleza reunida, o aquário deve ter rochas e troncos criando um ambiente agradável para o peixe e muitas plantas.

Pode ser criado juntamente com outros peixes de pequeno porte como nossos Tetras e outros, o macho da espécie possui a coloração mais brilhante e um corpo mais longilíneo, já a fêmea é mais arredondada e um pouco mais pálida em relação ao macho, é comum ver os machos duelando com suas nadadeiras abertas e as cores brilhantes em evidencia, nadando lado a lado em uma dança sincronizada.

Sua reprodução em cativeiro é fácil e muitos aquaristas já conseguiram realiza-las com grande sucesso, sabe-se que as fêmeas colocam cerca de 30 ovos, que são dispersados pelo aquário, sendo necessário a remoção dos pais logo após a postura para evitar a predação.

Você pode colocar no aquário de reprodução um pote com musgos onde os peixes depositarão seus ovos e assim dificultará a predação, após três dias os ovos eclodirão, os filhotes nascem escuros e com o passar dos dias vão adquirindo a cor característica, devem ser alimentados com infusórios e náuplios de artêmias.

Infelizmente ainda é pouco encontrado nas lojas brasileiras e quando vistos possuem um preço elevado, mais vale a pena obter esta espécie para embelezar ainda mais seu aquário.

27 outubro 2017

Sewellia lineolata

Originário do Sudeste Asiático este peixinho atraente e exótico chama a atenção pelo seu aspecto singular e comportamento pacífico, pertencente a família Gastromyzontidae, ele é encontrado em rios no Laos e Vietnã.

Nestes locais vivem em áreas de fluxo rápido, como corredeiras e cascatas onde o fluxo de oxigenação é bem alto, assim como nossos cascudos, este peixe vive preso as rochas e troncos por suas poderosas ventosas.

Atingindo até os 6cm de comprimento é um peixe que gosta de viver em aquários com água limpa e bem oxigenada, com muitas rochas e troncos e se possível com um fluxo de movimentação da água médio no fundo do tanque para que o mesmo simule o habitat natural da espécie e ofereça muita oxigenação.

No aquário não é necessário o uso de plantas aquáticas, apenas decoração com rochas e troncos já é o suficiente para que o peixe se sinta quase em casa, a temperatura ideal para a espécie é de 20ºC a 25ºC e PH de 6,0 a 7,0.

Na natureza se alimenta de algas e pequenos micro-organismos, no aquário devemos oferecer alimentos próprios para peixes de fundo, ricos em espirulina e derivados, evite alimentos caseiros porque podem não suprir todas as necessidades dos peixes fazendo-o definhar rapidamente.

Ao fazer a limpeza do seu aquário, evite escovar as rochas e troncos, deixe que as algas presentes nestes locais sejam consumidas pelo peixe, assim ele terá mais alimento disponível.

As diferenças entre macho e fêmea é observada através da cabeça e corpo, as fêmeas possuem um corpo mais largo que os machos, isto fica bem evidente quando se observa o peixe por cima, sua reprodução em cativeiro já foi conseguida por alguns aquaristas e segundo matérias postadas, o ambiente deve estar bem equilibrado para que a postura dos ovos ocorra com sucesso.