15 agosto 2016

Bunocephalus coracoideus - Banjo

Originário da bacia do rio Amazonas, este peixe é daquelas espécies que são buscadas por aquaristas que curtem criar animais mais exóticos, sua aparência peculiar e um tanto primitiva chama a atenção de qualquer um.

Popularmente conhecido como Banjo devido a sua aparência com o instrumento, este peixe pertence à família Aspredinidae e deve ser criado apenas com espécies de porte médio a grande, devido a sua natureza predatória, colocá-lo com peixes pequenos é oferecer-lhe um banquete de luxo.

Como todos os bagres, este peixe gosta de viver escondido durante o dia, em tocas, na areia, folhas, etc. comem de tudo, desde pequenos animais, como também artêmias, tubifex, alimentos especiais para peixes de fundo, etc.

O aquário ideal para o peixe deve ter PH na faixa dos 6,0, temperatura tropical e muitas tocas para que o peixe se sinta a vontade.

Já existem noticias sobre a reprodução da espécie, porem ainda não conhecemos os detalhes, mas pelo que já pesquisei na web, a reprodução se deu após uma troca parcial de água que parece que estimulou a fêmea a desovar, a distinção entre macho e fêmea se deu visualmente observando a largura da fêmea em relação ao macho.

Observou-se que a corte se deu com o macho perseguindo a fêmea e mordiscando sua lateral, a fêmea então começou a desovar e o macho imediatamente passou a fertiliza-los, os ovos se aderiram às plantas, vidro, rochas etc. por isto o ideal é colocar o casal em um aquário sem substrato, apenas com plantas de raízes ou tufos de lã para que os ovos fiquem mais protegidos.


Após 48hs os ovos eclodiram e 72hs depois os filhotes já nadavam pelo aquário que teve seus pais retirados para evitar a predação.

Infelizmente as informações ainda são bem superficiais e espero que você tenha sucesso na criação e reprodução da espécie.

Nenhum comentário:

Postar um comentário